CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
SOL Figueiredo
Enquanto sonhas acordado. Apagarei meu passado. Do sentimento retratado. A cada poema tão destilado!
Textos


VIVA CASTRO ALVES!
 

V  ozes d’África em versos entoam
nvocam a expressão em tais poesias
V  oando contra os ventos – cotovias...
A  o  horizonte, mais prantos ressoam...
*
C  antiga que não vem mais, a alma fria...
A  Primavera – a primeira poesia.
S  eu clamor contra toda escravidão,
T  ocando na alma da população!...
R  ebeldes palavras voam em verso,
O  rvalhos que caem deste universo...
*
A  procurar por quem, então, os salve!
L  amparina ilumina a escuridão,
V  ibrante chama acalma o coração,
E  num grito: -  “Liberta meu irmão!”...
 
S  alve! Salve! Ó querido Castro Alves!
 
SOL Figueiredo – 13 de março de 2014 – 16h
Soneto Acróstico monostrófico com estrambote em Homenagem ao poeta Castro Alves.
SOL Figueiredo
Enviado por SOL Figueiredo em 30/03/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários