SOL Figueiredo
Enquanto sonhas acordado. Apagarei meu passado. Do sentimento retratado. A cada poema tão destilado!
Textos

VAIDADE


Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a Terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho...E não sou nada!...

Florbela Espanca

 

 

 

Eu sonho escrever um verso perfeito...

Sei que tenho defeitos, é verdade!

Acabo por fazer poemas sem jeito...

Sigo a inspiração, ou a claridade!

 

E sonho versejar o amor eleito,

Vivendo a vida com tal liberdade,

Sonhando ter um sonho rarefeito...

Eu canto uma canção, sou só saudade!

 

Se sonho que sou ninguém além disso...

Vaidades? Não tenho, nem cobiço!

Perfeita? Não, não sou, mas eu me ajeito!

 

E quanto mais voo até o céu, feitiço...

E quanto mais sonho, um amor submisso!
Acordada, só sinto dor no peito!

© SOL Figueiredo

11/01/2013 – 22:45h

SOL Figueiredo e Florbela Espanca
Enviado por SOL Figueiredo em 11/01/2013
Alterado em 18/04/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários